12 de maio de 2009

hoje sinto-me


leve.


a ausência total de fardo faz com que o ser humano se torne mais leve do que o ar, fá-lo voar, afastar-se da terra, do ser terrestre, torna-o semi-real e os seus movimentos tão livres quanto insignificantes.


(a insustentável leveza do ser, milan kundera)



às vezes sabe bem ser ar, nem que seja por uns momentos. provar o vácuo que preenchemos diariamente, no fundo, de pequenos grandes nadas. hoje, sinto-me leve, e sinto-me bem.
(só me faltas tu).

3 comentários:

Rafa disse...

amor mesmo que não esteja fisicamente sabes que estou contigo e a pensar em ti.. :)

E na quinta... miau miau (L)

annie disse...

miau miau (L) :)

Anônimo disse...

- n tendo absolutamente nada a haver com o post (estando bastante querido, acrescente-se). - Escrevo para agradecer a indicação do Die Welle, acabei agora mesmo de o ver. Adorei a mensagem do filme! continua a fazer lhe propaganda igual ;) beijinhos